domingo, 10 de janeiro de 2010

Poesia

Como a aurora que surge a cada manhã,
Pincelando de cores o horizonte,
A minh’alma anseia que a aurora da vida,
Venha colorir com seus matizes,
O firmamento do tempo,
Que resplandece a cada alvorecer,
E se esconde no ocaso dos meus dias,
E na noite que embala o adormecer,
Possa no sonho, viver a realidade,
Mesmo que por um momento,
Antes que o sonho acabe.

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.