terça-feira, 1 de março de 2011

Conto feminino

Um dia, uma dona de casa buscava gravetos para o fogão à lenha para fazer o almoço para sua família. Cortando o galho de uma árvore tombada,seu machado caiu no rio. A mulher suplicou a Deus que lhe ajudasse.
Ele apareceu e perguntou:
- Por que você está chorando?
A mulher respondeu que seu machado havia caído no rio. E Deus
tirou
um machado com cabo de ouro, do rio, e perguntou:
-É este seu machado?
A nobre mulher respondeu:
- Não, Deus, não é esse.
Deus entrou novamente no rio e tirou um machado com cabo de
Prata:
- É este o seu?
- Também não, respondeu a dona de casa.
Deus voltou ao rio e tirou um machado com cabo de madeira, e
perguntou:
- É este teu machado?
- Sim, respondeu a nobilíssima mulher.
Deus estava contente com a sinceridade da mulher, e mandou-a de
volta para casa, dando-lhe os três machados de presente. Um dia, a mulher e seu amantíssimo marido estavam passeando no
campo quando ele tropeçou e caiu no rio. A infeliz mulher, então, suplicou a Deus
por ajuda. Ele apareceu e perguntou:
- Mulher, por que você está chorando?
A mulher respondeu que seu esposo caíra no rio.
Imediatamente Deus tirou do rio o Rodrigo Santoro, e peguntou:
- É este seu marido?
- Sim, sim, respondeu a mulher.
E Deus se enfureceu.
- Mulher mentirosa!!! exclamou.
Mas a mulher rapidamente se explicou:
- Deus, perdoe, foi um mal-entendido. Se eu dissesse que não, então, o Senhor
tiraria o Gianecchini do rio; depois, se eu dissesse que não era ele, o Senhor tiraria meu marido; e quando eu dissesse que sim, era ele, o Senhor mandaria eu ficar com os três. Mas eu sou uma humilde mulher,
e não poderia cometer trigamia... Só por isso eu disse ''sim'' para o primeiro deles.
E Deus achou justo, e a perdoou.


MORAL DA HISTÓRIA: MULHER MENTE DE UM JEITO QUE ATÉ DEUS ACREDITA

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.